Seja bem-vindo
Rio Grande,23/04/2024

  • A +
  • A -
Publicidade

Comitê de Operações Estratégicas define ações de combate à dengue para o Estado

O encontro reuniu gestores, representantes do Estado e de entidades ligadas à saúde, além do Exército e do Ministério Público


Comitê de Operações Estratégicas define ações de combate à dengue para o Estado Foto: Itamar Aguiar/Ascom SES

Na primeira reunião do Comitê de Operações Estratégicas (COE), realizada na quinta-feira, 29, foi definida uma série de ações que serão desenvolvidas para combater o mosquito Aedes aegypti e conter a propagação da dengue no Estado. 

A reunião, coordenada pela titular da Secretaria da Saúde (SES), Arita Bergmann para reverter o quadro de propagação da dengue no Estado contou com a participação de 110 gestores e representantes de entidades ligadas à saúde e ao  governo do Estado, além de integrantes do Exército e do Ministério Público.  

Entre as medidas encaminhadas estão: a realização de campanhas contra a dengue nas escolas; a eliminação, inclusive nos prédios públicos, de focos de reprodução do inseto; e reforço no tratamento oferecido pela Atenção Primária nos municípios, buscando identificar rapidamente sintomas e qualificar a oferta de tratamento à população.

“Os nossos profissionais da área da saúde estão motivados para participar e colaborar para atingirmos objetivos concretos de combate à dengue”, disse Arita. "Sempre em parceria com a vigilância em saúde e com a nossa rede assistencial, para que possamos também diminuir não só os casos de dengue, mas especialmente os casos em que há necessidade de internação, com vítimas indo a óbito”, acrescentou.

Casos no Estado

O Rio Grande do Sul registra a terceira maior letalidade pela dengue do país, com oito óbitos confirmados. O Estado também registra um aumento de 1.100% no número de casos confirmados nas últimas quatro semanas, em comparação com o mesmo período de 2023. No total, são 9.608 casos confirmados em 466 dos 497 municípios gaúchos. 

“Nas sete primeiras semanas do ano, tivemos uma alta incidência de dengue em comparação com os anos de 2022 e 2023”, explicou a diretora do Centro Estadual de Vigilância em Saúde (Cevs), Tani Ranieri. “Hoje temos em circulação no Brasil quatro variações do vírus transmitido pelo Aedes aegypti. Isso nunca aconteceu”, ressaltou.  

Quanto mais tipos de vírus em circulação, mais preocupante é a situação da epidemia, de acordo com a diretora. No Estado, há duas variantes em circulação, situação menos grave do que no restante do país, o que permite uma ação mais efetiva contra a doença, mas que exige mais cuidado no atendimento aos pacientes.

A secretária Arita lembrou ainda que as pessoas têm procurado tardiamente os serviços de saúde. "Por isso temos que fortalecer a área assistencial, em especial a atenção primária, disponibilizando reidratação oral, observando os sintomas e oferecendo horários de atendimento alternativos”, ressaltou.

O comitê

A reunião envolveu não apenas gestores dos municípios e coordenadores regionais da SES, mas também representantes do Ministério da Saúde, do Conselho de Secretarias Municipais de Saúde do Rio Grande do Sul (Cosems-RS), dos conselhos regionais de Medicina (Cremers) e de Enfermagem (Coren), do Comando Militar do Sul, da Emater/RS-Ascar, da área da educação. A subsecretária do Parque Estadual de Exposições Assis Brasil, da Secretaria da Agricultura, Pecuária, Produção Sustentável e Irrigação, Betty Cirne-Lima também esteve presente no encontro.

O envolvimento dos participantes do encontro se refletiu na apresentação de propostas e no relato de ações que vêm sendo realizadas para conter o avanço da dengue. Uma das constatações mais importantes é a de que é necessário envolver a população no combate ao mosquito transmissor. 

“O papel das escolas na conscientização dos alunos e das famílias é fundamental. O enfrentamento não é feito só pelo médico, mas mas envolve as equipes de saúde e a sociedade”, disse médico infectologista Paulo Gewehr Filho, do Cremers. “A parceria de todos vai trazer uma melhor resposta para enfrentar essa epidemia. A vacina não vai ter o impacto que gostaríamos. por isso, a atenção de todos é fundamental”, complementou.

A próxima reunião do comitê será realizada em duas semanas. 

Dia D contra a dengue

No próximo sábado, 2, será o Dia D Nacional de Combate à Dengue. De iniciativa do governo federal, a ação terá o apoio da SES, que divulgará um comunicado para que as pessoas cuidem de seus ambientes. A secretaria também vai replicar em suas redes sociais as iniciativas de gestores e entidades.

Publicidade



COMENTÁRIOS

Buscar

Alterar Local

Anuncie Aqui

Escolha abaixo onde deseja anunciar.

Efetue o Login

Recuperar Senha

Baixe o Nosso Aplicativo!

Tenha todas as novidades na palma da sua mão.