Centro de Atendimento ao Autista em Pelotas inspira programa estadual

Centro de Atendimento ao Autista em Pelotas inspira programa estadual

Prefeita Paula Mascarenhas participou do evento de apresentação, pelo governo do Estado, dos três novos centros macrorregionais.

Por Assessoria/Redação 20/07/2021 - 10:43 hs
Foto: Divulgação

A consolidação e a importância do trabalho realizado em Pelotas, pelo Centro de Atendimento ao Autista Doutor Danilo Rolim de Moura, serviram de inspiração para o governo do Estado, na abrangência do serviço, através do Programa de Atendimento a Pessoas com Transtorno do Espectro Autista, o TEAcolhe. A referência foi feita pelo governador Eduardo Leite, na tarde da última segunda (19), durante o evento de apresentação dos três primeiros centros macrorregionais para atendimento desse público: o de Pelotas, o de Cachoeira do Sul e o de Santa Rosa.  

 

A prefeita de Pelotas, Paula Mascarenhas, acompanhou a apresentação e se disse muito honrada em representar os demais prefeitos diante da missão de terem um centro macrorregional. "Sinto-me privilegiada de ter acompanhado uma política pública, desde que ela nasceu, como ideia, no coração e na mente de um gestor, até que ela se expandiu e ganhou outros tantos corações e mentes. Foi assim que eu vi o tratamento ao autismo em Pelotas acontecer, se fortalecer e, hoje, ganhar o Estado", contou Paula, lembrando que muitas pessoas não vão mais precisar se mudar de cidade em busca dos atendimentos. 

"Nós vamos fortalecer uma rede estadual de atendimento, a partir da formação qualificada que esses centros vão propiciar e isso é extraordinário, porque quem vive essa realidade sabe o quanto esse tipo de atendimento é transformador", afirmou a gestora pelotense.

 

Durante a cerimônia, em vários momentos, o Centro de Atendimento ao Autista Doutor Danilo Rolim de Moura foi mencionado como exemplo de política pública de inclusão e de determinação de governantes, famílias envolvidas e comunidade em geral. O governador Eduardo Leite disse que, sempre quando se depara com as adversidades e embates políticos, lembra-se da alegria que a ele proporciona os resultados, hoje alcançados com o Centro de Pelotas. 


"Eu era vereador em Pelotas e acompanhava a angústia de pais e mães por não terem um local onde seus filhos tivessem os estímulos, os cuidados e o suporte necessários. Hoje, a gente reencontra esses mesmos pais, com alegria e sorriso no rosto, nos contanto a evolução que seus filhos tiveram de lá para cá", detalhou Leite, ressaltando que essa política, que chega ao Estado, significa aporte financeiro de R$ 50 mil mensais para o custeio dos centros regionais.     

No evento, ainda foi lançada a Carteira de Identificação da Pessoa com Transtorno do Espectro Autista (Ciptea). O documento gaúcho tem como diferencial a impressão de QR-Code, que permitirá acessar informações adicionais e conterá geolocalização. Além disso, também houve a assinatura do anúncio de abertura do segundo edital de propostas para implantação de mais quatro Centros de Referência nas macrorregiões Centro-oeste, Metropolitana, Serra e Norte, e de 30 Centros Regionais de Referência. A secretária de Educação e Desporto de Pelotas, Adriane Silveira, e o deputado estadual Luiz Henrique Viana (PSDB) acompanharam o ato.

Como funciona a macrorregionalização e o matriciamento

Esse sistema é baseado na metodologia de gestão e trabalho que busca ampliar os atendimentos e as ações em Saúde, Educação e Assistência Social, por meio da articulação e do compartilhamento de saberes, práticas e aperfeiçoamento da equipe matriciadora com outros municípios. Essa organização visa mapear as necessidades locais, regionais e macrorregional, incentivar a criação de referências em autismo nos municípios e nos serviços da macrorregião e, também, fortalecer redes locais existentes.

O que muda e o que permanece no Centro de Pelotas

Na Educação, o Centro seguirá o trabalho articulado com as escolas, com os atendimentos na Intervenção Precoce e no Atendimento Educacional Especializado. Desta forma, permanecem abertos os campos de estágios, pesquisas voltadas ao TEA, projetos articulados com a UFPel e a formação continuada para as redes de ensino e às famílias.

As mudanças ocorrem na organização do Centro Macrorregional de Referência em TEA, que desenvolverá um trabalho de matriciamento que contará com profissionais, como assistente social, psicopedagogo, terapeuta ocupacional, psicólogo e neurologista. Esses profissionais irão desenvolver ações de encaminhamento, estruturação e formações não somente para Pelotas, mas para os demais municípios pertencentes à macrorregião. O acolhimento, os encaminhamentos e a troca de informações, dentro dessa rede, possibilitará às famílias uma melhor qualidade e agilidade no atendimento.