Seja bem-vindo
Rio Grande,02/03/2024

  • A +
  • A -
Publicidade

Polícia Penal integra maior operação de combate à comunicação ilícita em unidades prisionais do RS

Operação Mute ocorreu em mais de cem estabelecimentos de todo o país e resultou na apreensão de 75 celulares no RS


Polícia Penal integra maior operação de combate à comunicação ilícita em unidades prisionais do RS Foto: Jonathan Silva/Ascom Polícia Penal

A Polícia Penal do Rio Grande do Sul encerrou, nesta sexta-feira, 2, operações em três unidades prisionais que resultaram na apreensão de 75 celulares. As ações, iniciadas na quarta-feira, 31, fazem parte da terceira fase da Operação Mute, realizada pela Secretaria Nacional de Políticas Penais (Senappen), com o objetivo de combater a comunicação ilícita do crime organizado e reduzir os índices de violência em âmbito nacional.

A operação ocorreu de forma simultânea em todo o país e contou com a atuação de servidores penitenciários federais e estaduais em mais de cem unidades prisionais. Ao todo, 120 celas foram revistadas na quarta-feira (31/1), no Complexo Prisional de Canoas, na quinta-feira (1/2), na Penitenciária Modulada Estadual de Montenegro, e na sexta-feira (2/2), na Penitenciária Estadual de Sapucaia do Sul, totalizando 826 apenados.

O titular da Secretaria de Sistemas Penal e Socioeducativo (SSPS), Luiz Henrique Viana, destaca que o governo do Estado tem investido em ações estratégicas para contribuir com a redução dos índices de criminalidade. “Com o Programa RS Seguro, temos alcançado bons resultados no combate ao crime. A Polícia Penal gaúcha desempenha um papel importante nesse contexto, com a realização de diversas revistas em unidades prisionais. E a participação na Operação Mute, em parceria com órgãos federais, é um exemplo desse trabalho integrado e com o objetivo de trazer mais segurança para a sociedade”, afirma.

Nesta fase, houve mobilização de cerca de 180 servidores, que fazem parte do Grupo de Ações Especiais (Gaes), do Grupo de Intervenção Rápida (GIR) da 1ª Região Penitenciária e das equipes das unidades.

A coordenação foi feita pelo Departamento de Inteligência e Operações Estratégicas da SSPS e pelo Departamento de Segurança e Execução Penal da Polícia Penal, com participação do Departamento de Inteligência da instituição.

O superintendente da Polícia Penal, Mateus Schwartz, salienta que a atuação da Polícia Penal na terceira fase da Operação Mute demonstra a capacidade técnica do Gaes e dos GIRs. “Os nossos grupos táticos são referência no país e têm um papel muito importante para a redução dos índices de criminalidade no Rio Grande do Sul”, destaca. O superintendente também ressalta o empenho de todos os servidores penitenciários para tornar o sistema prisional cada vez mais seguro.

Esta é a maior operação realizada pela Senappen no contexto de combate ao crime organizado, devido ao número de estados participantes e à quantidade de servidores penitenciários envolvidos e de unidades prisionais revistadas.

Fases anteriores

A primeira fase ocorreu entre 16 e 27 de outubro de 2023 e resultou na apreensão, em todo o país, de 1.166 aparelhos celulares. As operações ocorreram em 68 unidades prisionais de 26 estados. Ao todo, 55.919 pessoas privadas de liberdade foram revistadas.

Na segunda fase, de 11 a 15 de dezembro de 2023, houve a apreensão de 1.294 aparelhos celulares. A operação foi realizada em 114 estabelecimentos de 26 estados e do Distrito Federal, totalizando 75.672 apenados revistados.

Publicidade



COMENTÁRIOS

Buscar

Alterar Local

Anuncie Aqui

Escolha abaixo onde deseja anunciar.

Efetue o Login

Recuperar Senha

Baixe o Nosso Aplicativo!

Tenha todas as novidades na palma da sua mão.