Ode à Catapora

Ode à Catapora

As viroses do corpo podem ser curadas. E as viroses da alma, serão?

Por Deisi Tavares Soares 18/09/2021 - 21:29 hs
Ode à Catapora
Qual cerejas em bolo de nata! Que a doçura supera a acidez! Imagem da internet


ODE À CATAPORA



Estou de quarentena

Enclausurada,

Presa, exilada

Envolveu-me a serpente, estou sentenciada.



Brotoejas

Qual cerejas

Em bolo de nata

Sem calda, sem licor.

Somente o ardor

E sua acidez.



Já não comungo dos pratos

Não divido os atos

Já não posso acarinhar

Resta-me apenas olhar

O andamento dos fatos.



Segregação, dor, apart-aid

Senti na carne a sentença de calabouço

E traço este cruel esboço

De apenas uma virose

Mas não a dura e extensa dose

De preconceito e racismo

E olho com pessimismo

As mazelas da humanidade.















O Litorâneo não se responsabiliza pelos conteúdos aqui divulgados, sendo única responsabilidade de seus autores. Como espaço livre e democrático, as opiniões aqui expressas são unicamente de seus autores.