Seja bem-vindo
Rio Grande,23/04/2024

  • A +
  • A -
Publicidade

ANTAQ vai coletar dados de terminais para fazer um inventário de emissão de carbono

Iniciativa faz parte das três agendas principais da agência para auxiliar na implementação de uma estratégia ESG no setor portuário


ANTAQ vai coletar dados de terminais para fazer um inventário de emissão de carbono Foto: Divulgação

A Agência Nacional de Transportes Aquaviários (ANTAQ) se prepara para implementar mais uma estratégia de Environmental, Social and Governance (ESG) dentro da agência. Dessa vez, o intuito é fazer um levantamento com todos os portos para construir um inventário de emissão de carbono do setor aquaviário.

Essa iniciativa faz parte de uma agenda prioritária da Agência com três estudos diferentes. Um deles trata de como os portos estão se preparando para a transição energética, com o uso de novos tipos de combustíveis, por exemplo; e o outro é sobre como os portos se planejam para melhorar a relação porto-cidade. 

O objetivo da Agência é que em breve seja feito um levantamento de emissão de carbono parecido com o estatístico aquaviário, que é divulgado mensalmente em um compilado para a sociedade. Com isso, a ANTAQ poderá atender às metas do acordo de Paris e a Agenda Ambiental e de Segurança Aquaviária interna.

O diretor-geral da ANTAQ, Eduardo Nery, reforçou que para atender às metas estabelecidas é necessário primeiro monitorar e medir e por isso esse inventário é fundamental para o setor e para a sociedade.

“A nossa missão é que sejam encaminhadas informações tempestivas por todo o setor e a partir dali é possível ter um termômetro sobre como o setor está se comportando em relação às emissões de carbono”, explicou Nery em evento da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), que aconteceu na quarta-feira (28) de manhã para tratar das práticas e desafios no setor público para a implementação do ESG.

Agenda perene 

A Agência vem trabalhando para melhorar os níveis de sustentabilidade no setor portuário há algum tempo. A ANTAQ foi a primeira agência reguladora federal a ter uma unidade voltada exclusivamente para a área de sustentabilidade e foi precursora na criação do Índice de Desempenho Ambiental (IDA), servindo inclusive de exemplo para outras agências reguladoras.

Além disso, no ano passado, foi entregue o estudo “Impactos e Riscos da Mudança do Clima nos Portos Públicos”. Nesse estudo foram identificadas as principais ameaças e riscos climáticos. 

Com isso, foi feita uma metodologia com todas as diretrizes para realização de estudos de caso sobre os impactos climáticos nos portos e no momento está sendo feito um monitoramento desses impactos por parte da ANTAQ.

“A Agência está estimulando as autoridades portuárias e os Terminais de Uso Privado a se planejar para essas mudanças climáticas que se avizinham”, apontou o diretor-geral.  

Rio Limpo, Amazônia Viva

O diretor ressaltou ainda, durante o painel, a importância do evento educativo Rio Limpo, Amazônia Viva, que visa preservar os rios da região. A intenção é que esse evento aconteça ainda no primeiro semestre deste ano no Norte do país.

A iniciativa tem como objetivo geral: promover a sustentabilidade ambiental, incentivar o atendimento de Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) e a adoção de princípios ESG no transporte aquaviário na região amazônica.

Painel ESG

O painel “ESG – Práticas e desafios no setor público”, promovido pela ANAC, contou com a participação, além do diretor-geral da ANTAQ, Eduardo Nery, da secretária executiva do Ministério de Portos e Aeroportos (MPor), Mariana Pescatori; do diretor-presidente da ANAC, Tiago Pereira; do diretor da ANAC, Rogério Benevides; do ministro do Tribunal de Contas da União (TCU), Augusto Nardes; e com a moderação de Marcelo Bernardes, que é superintendente de Governança e Meio Ambiente da ANAC.

Publicidade



COMENTÁRIOS

Buscar

Alterar Local

Anuncie Aqui

Escolha abaixo onde deseja anunciar.

Efetue o Login

Recuperar Senha

Baixe o Nosso Aplicativo!

Tenha todas as novidades na palma da sua mão.