Seja bem-vindo
Rio Grande,14/07/2024

  • A +
  • A -
Publicidade

Em reunião do Comdema, Portos RS detalha processos de dragagem realizados em vias de execução

O Comdema reúne os principais órgãos de controle do meio ambiente nas esferas municipal, estadual e federal, além de instituições e membros da sociedade civil organizada.


 Em reunião do Comdema, Portos RS detalha processos de dragagem realizados em vias de execução Foto: Divulgação Portos RS


O diretor de meio ambiente da Portos RS, Henrique Ilha, esteve presente na última edição da reunião ordinária do Conselho Municipal de Defesa do Meio Ambiente (Comdema), oportunidade em que falou sobre o processo de dragagem de manutenção do canal de acesso ao Porto do Rio Grande realizado entre novembro de 2022 e janeiro de 2023. O Comdema reúne os principais órgãos de controle do meio ambiente nas esferas municipal, estadual e federal, além de instituições e membros da sociedade civil organizada.

 

Na ocasião, Ilha destacou que todo o período de dragagem de manutenção foi acompanhado através de fiscalização a bordo, rastreamento on-line, dados dos sensores das dragas e monitoramentos ambientais cobrindo períodos antes, durante e pós a obra. O relatório final, com avaliação integrada dos dados, foi apresentado ao IBAMA, órgão licenciador do Porto Organizado do Rio Grande, e teve sua análise expedida através do Parecer Técnico nº 108/2023-COMAR/CGMAC/DILIC de 18 de julho de 2023.

 

No relatório, o IBAMA informou que o projeto 2022/2023 foi realizado atendendo às condições estabelecidas pelo órgão, não sendo observadas desconformidades realizadas ao prazo estipulado e à operação dos equipamentos, como overboard e jateamento não utilizado como processo hidrodinâmico, overflow limitado a cinco minutos e despejo do material devidamente no local licenciado, além da implementação de programas de monitoramento e mitigação de impactos ambientais.

 

Referente aos monitoramentos ambientais, Henrique informou que os dados gerados pelo sistema SiMCosta da Universidade Federal do Rio Grande (Furg), durante o período anterior e posterior à obra, demostraram que o sítio de despejo é totalmente seguro e o material se mantem no local após seu descarte pela draga. Ele trouxe ao público, ainda, os resultados dos levantamentos mensais do bolsão de lama em frente ao Balneário Cassino.

 

Durante a dragagem do ano 2022, que terminou em janeiro de 2023, ficou evidente uma progressiva redução do bolsão de lama até se tornar imperceptível, provavelmente absorvido pelas porções de areia ou deslocado para outras regiões. No mês de setembro, após as cheias históricas no Estado do Rio Grande do Sul e consequente desague de volumes expressivos com muito sedimento, o levantamento já evidencia uma acumulação de lama fluída em frente ao Bairro Querência, à uma profundidade de cerca de 6 metros. Esse novo banco de lama pode ser lançado à faixa de praia no caso de um evento meteorológico de grande magnitude, como uma ressaca.

 

Após essa retrospectiva, a Portos RS introduziu informações básicas referentes ao projeto da etapa 2023/2024 da dragagem de manutenção, que teve o contrato assinado para a execução da obra no dia 26 de outubro. Aos participantes, Ilha explicou que as dragagens anuais e de menor porte são parte da estratégia da Portos de reduzir os possíveis impactos na orla do Cassino, o que vem se mostrando muito eficiente. Além dessa vantagem, as correções de profundidade e geometria do canal aumentam a segurança da navegação e a competitividade do Porto do Rio Grande.

 

Essa fase tem como meta um calado de 14 metros, com um volume a ser dragado estimado em 2,7 milhões de metros cúbicos de sedimentos. Seguindo a padrão dos projetos anteriores, a Portos RS mantém a execução de todos os programas de monitoramento ambiental e fiscalização da obra de dragagem de manutenção.

Publicidade



COMENTÁRIOS

Buscar

Alterar Local

Anuncie Aqui

Escolha abaixo onde deseja anunciar.

Efetue o Login

Recuperar Senha

Baixe o Nosso Aplicativo!

Tenha todas as novidades na palma da sua mão.