Seja bem-vindo
Rio Grande,20/05/2024

  • A +
  • A -
Publicidade

André Zenobini

Turismo

Os fogos de artifício são o mínimo que se espera de uma praia turística. Enquanto o Cassino ficou esquecido, outros municípios da região vão ganhando espaço e tornando-se rota para as festas de final de ano.


Turismo

Turismo 

Rio Grande busca ser uma cidade turística. Quer muito isso para si e todas as entidades, poder público e empresas tem isso nos seus discursos. Os potenciais turísticos estão aí escancarados e, para alguns, são mínimos detalhes que faltam para serem grandes atrações. Até aí, tudo bem. Contudo, turismo também é planejamento e datas comemorativas devem ser trabalhadas na agenda fixa. Páscoa, Natal e Ano Novo, principalmente, devem estar na agenda permanente das autoridades. 

Turismo II 

No caso mais recente, o Réveillon do Cassino foi tratado como o que sobrou. Não sobrou, não vai ter. Só que não pode ser assim. Esses grandes eventos devem ser trabalhados desde o 01 de janeiro. Verba, financiamento, patrocínios, estrutura e atrações devem ser planejadas e ter seus recursos garantidos. Os fogos de artifício são o mínimo que se espera de uma praia turística. A falta deles deixa tudo mais triste, com cara de derrota. Enquanto o Cassino ficou esquecido, outros municípios da região vão ganhando espaço e tornando-se rota para as festas de final de ano. Tem que ter planejamento! 

Fábio Branco 

No Café com Z, Fábio Branco tratou sobre diversos assuntos na última quarta-feira, 20. Num dos pontos destacou que o aniversário da cidade, em 19 de fevereiro, será marcado pela assinatura do Pacto pelo Turismo. Boa iniciativa. Que desse pacto venha um grupo de trabalho, de pessoas da cidade, para tratar as principais pautas o ano inteiro. 

Fábio Branco II

Durante o Café com Z, Fábio também tratou sobre o Centro Histórico. Para a CDL, ele apresentou três projetos de lei que vão à análise do Legislativo: desconto de ISSQN para negócios que façam atração de público na área central, isenção de IPTU para prédios listados condicionado a reformas e, majoração de IPTU para imóveis fechados que servem ao mercado de especulação imobiliária. São três boas propostas que precisam entrar em vigor logo. Parabéns ao procurador Ênio Fernandez Jr. que teve a missão da análise legal para o tema. Será o início de uma revolução no centro histórico. 

Zona Azul 

Agora, nada vai adiantar se a cidade seguir permitindo o funcionamento da Zona Azul em sua atual fórmula. Não sou contrário ao sistema, contudo, acredito que adaptações precisam ser feitas. Tamanho da área e valor precisam ser revistos - PARA MENOS. O sistema é muito caro e afugenta quem precisa ir ao centro. Além disso, deveria ter uma dilatação de horário, passando de 02 para 03 horas o limite de estacionamento por vaga.  Ainda, a criação de áreas de parada rápida seria algo interessante, ou uma tarifa para 15 minutos também ajudaria. 

Zona Azul II 

Por falar em tarifa de 15 minutos, o pagamento por "tempo cheio" é outro impasse. A prefeitura deveria obrigar que a empresa implantasse o sistema de pagamento por tempo utilizado. Inicia o pagamento quando estaciona e encerra ao sair, pagando proporcional aquilo utilizado. Tecnologia para isso existe. Basta querer.  

Natal 

É época de Natal! Aproveito para desejar os meus votos de bom natal para todas as famílias rio-grandinas. Que seja um momento de paz e união entre as famílias! Bom Natal! 


 



COMENTÁRIOS

LEIA TAMBÉM

Buscar

Alterar Local

Anuncie Aqui

Escolha abaixo onde deseja anunciar.

Efetue o Login

Recuperar Senha

Baixe o Nosso Aplicativo!

Tenha todas as novidades na palma da sua mão.