Seja bem vindo
Rio Grande,17/08/2022

  • A +
  • A -
Publicidade

Singapura vista do Rio

No rio Singapura navega-se pelo tradicional e pelo moderno, num país que deu certo.

Singapura vista do Rio

SINGAPURA VISTA DO RIO

Marisa Martins

aloha.marisah@gmail.com

Foto: arquivo pessoal 


No rio Singapura navega-se pelo tradicional e pelo moderno, num país que deu certo.


Muitos chamam Singapura de Torre de Babel, pelo ecletismo de seus cinco milhões e meio de habitantes, e pela diversidade em todas as áreas.

Gosto da Cidade-Estado, por essas tantas nuanças sociais, arquitetônicas, ecológicas, educacionais, culturais, político-administrativas.

Difícil sintetizá-la. Assim, tornam-se inesgotáveis as abordagens dos diferentes aspectos. Sempre há algo não observado. Por vezes, detalhes sutis.

Águas do mar a rodeiam, águas interiores embelezam paisagem urbana. Modernos navios lá aportam ou lá são construídos. Antigas e típicas embarcações singram sob vetustas pontes e diante de surpreendentes edificações.

Passeio de barco pelo rio Singapura traz aspectos que ligam passado e presente, antigo e novo e, quiçá, visões futuristas.

Desliza pela baía, oferecendo ao olhar diferentes ângulos de marcos arquitetônicos: Marina Bay Sands, hotel-cassino, com três torres, sustentando deck em forma de prancha de surfe com piscina de borda infinita. Perto, Museu de Artes e Ciências, em forma de flor de Lótus.

 A Ópera, teatro em forma da fruta típica Durian, lembra nossa jaca. Ainda,The Float, plataforma flutuante, onde se realizam atividades esportivas e espetáculos.

Como símbolo da Cidade-Estado, exsurge Merlion, escultura que une cabeça de leão a corpo de peixe. Singapura, do malaio e sânscrito, significa “Cidade do Leão”. Corpo lembra peixe para homenagear pequena vila de pescadores, início da colonização.

Na Singapura tradicional o barco atraca em diversos cais. Pode-se desembarcar naquele que leva ao bairro chinês, antigo porto secundário. Ou visitar o Parlamento.

Disse Rodrigo Purisch, visitante contumaz: “Esta é uma cidade que não para de se reinventar”.

Com razão a assertiva. Por terra e por água, caminhando e navegando, há sempre descobertas nesta que é, dentre as menores repúblicas do mundo, a mais jovem – tornada independente em 9 de agosto de 1965. 

Ao mesmo tempo, comprova intenso desenvolvimento e alto nível cultural, de segurança e de qualidade de vida.  



P.S.: Vaticano e Mônaco são as outras duas Cidades-Estado com poder e autoridade supremos.





COMENTÁRIOS

Bom ter lido e conhecido um pouco de Singapura. (Feliz Aniversário)

LEIA TAMBÉM

Buscar

Alterar Local

Anuncie Aqui

Escolha abaixo onde deseja anunciar.

Efetue o Login