Assuma o PROTAGONISMO!

Assuma o PROTAGONISMO!

Pare de ser fantoche na mão dos outros. Assuma as rédeas!

Por Eduardo Johnston 17/10/2021 - 22:01 hs

Muitos aceitam que a própria vida está indo por um rumo que não escolheram. É como se você tivesse em um banco de passageiro e outra pessoa (ou alguma situação) tivesse no controle da sua história. Isso faz com que as pessoas esqueçam inclusive os motivos que as fazem sentir tesão pela vida e acabam apenas cumprindo tarefas diárias.

 

Mais cedo ou mais tarde, ao perceber não possuir as rédeas da própria vida, alguns pensamentos podem surgir: “Onde foi que me perdi? Por que não consigo determinar minha vida?”

 

Fim da adolescência, início da fase adulta e, apesar da idade, você ainda não entendeu que a vida só depende de você.

 

É cada vez mais frequente nos depararmos com pessoas que se vitimizam, colocando a responsabilidade do que lhes cabe em qualquer outra pessoa, ou situação, menos em si mesmas.

 

Quanto tempo você vai levar para entender que suas escolhas e seu posicionamento vão determinar o curso da sua vida?

 

Pelo viés da Terapia Cognitivo Comportamental, sempre escrevo em meus textos que nossas ações são causadoras das reações, mas hoje saliento que as inações também, por isso não devemos negar assumir o protagonismo da nossa vida, pois esse comportamento só vai gerar prejuízos para o futuro.

 

A regra é clara: comportamentos iguais geram os mesmos resultados, por isso, tenha autorresponsabilidade. Você tem apenas essa vida, o tempo não para e você não consegue voltar no passado para corrigir algo. Abra os olhos.

 

Pare de ser figurante. Pare de ser fantoche na mão dos outros.

 

Identifique quais comportamentos são prejudiciais para você e os altere imediatamente.

 

Encare seus problemas de frente e faça de tudo para resolvê-los. Pare de se esquivar por pensar ser menor do que realmente és.

 

Nunca espere pela motivação. Se tiver que agir sem motivação, aja.

 

Responda para mim:

Você é protagonista ou figurante?

 

Até quando?  



O Litorâneo não se responsabiliza pelos conteúdos aqui divulgados, sendo única responsabilidade de seus autores. Como espaço livre e democrático, as opiniões aqui expressas são unicamente de seus autores.