[Parte 10] - Fobia Social

[Parte 10] - Fobia Social

O quanto a opinião alheia afeta você?

Por Eduardo Johnston 13/09/2021 - 12:45 hs

Alguns estudos revelam que a fobia social é uma das manifestações mais comuns de ansiedade nas pessoas, sobretudo em jovens.

 

Na fobia social, encontramos preocupação excessiva e sofrimento antecipatório no contexto da exposição e em todos os aspectos da interação social. A pessoa demonstra muito receio do julgamento alheio ou de ter um baixo desempenho social. Isso gera desconforto físico e psíquico, principalmente em exposições orais, apresentações na escola ou trabalho, encontros amorosos, entre outras interações mais corriqueiras.

 

Pessoas com esse transtorno se sentem avaliadas, analisadas e julgadas o tempo todo. O medo de um desempenho embaraçoso leva a um evidente desconforto, que além de não ajudar a resolver a situação, ainda atrapalha. Ou seja, o receio gera autocobrança demasiada e isolamento. Fugir dos outros e de qualquer situação de exposição é uma maneira de se esquivar dos gatilhos da ansiedade. Porém, já conversamos em outros capítulos o que acontece quando você se esquiva da ansiedade, né? O alívio imediato não trata nada e só prolonga o sofrimento.

 

A causa do transtorno é complexa e multifatorial. Tudo pode influenciar, como fatores biológicos, vivências negativas anteriores, perfeccionismo, elevada cobrança pessoal, baixo limiar de frustração, entre outros.

 

Os sintomas podem variar bastante, predominando sintomas psíquicos, como medo, angústia e tensão emocional; ou sintomas físicos, como tremores, sudorese, taquicardia e falta de ar. Saliento que estes são os mais comuns, mas nem todas as pessoas apresentam todos os sintomas.

 

Sempre ressalto que o diagnóstico deve ser feito por um psicólogo ou psiquiatra. Afinal, é comum pessoas ficarem desconfortáveis sendo expostas em situações sociais, mas o que diferencia para o diagnóstico é o grau de influência do transtorno na qualidade de vida.

 

Com o acompanhamento de um terapeuta cognitivo comportamental, a pessoa consegue se expor gradativamente em situações, reduzindo o medo, a ansiedade e aumentando sua qualidade de vida. 



O Litorâneo não se responsabiliza pelos conteúdos aqui divulgados, sendo única responsabilidade de seus autores. Como espaço livre e democrático, as opiniões aqui expressas são unicamente de seus autores.